Sobre a passagem e alguns erros de programação

Oi pessoal! Hoje decidi falar sobre a segunda etapa do planejamento da viagem, documentação para ir ok?
Já viram o post sobre a documentação necessária? 
Hora de comprar a passagem. Existem duas opções de trajetos para chegar ao Canadá partindo do Brasil, fazendo escala pelos Estados Unidos e direto. Caso você não tenha restrição quanto ao visto americano, é SUPER importante ressaltar que mesmo que você só vá fazer escala nos EUA você precisa de visto. Seja ele o de passagem ou o de turismo o trâmite e o trabalho de ir até a embaixada passar por entrevista é basicamente o mesmo. Retomando... Caso você não tenha restrição com relação ao visto americano, a vantagem é que você pode encontrar mais opções e por um preço mais bacana. Caso você não tenha o visto, e não pretenda tira-lo a TAM e a Air Canada têm opções de voo direto para o Canadá. :)
A minha opção:
Quando fui comprar minha passagem eu não estava com planos de tirar o visto americano, então isso me restringia quanto às opções, além disso na época a TAM não fazia a linha São Paulo - Toronto. Como conclusão direta acabei indo de Air Canada.
Comprei minha passagem no fim de outubro, na época paguei algo em torno de R$3050,00 (com taxas) ida e volta, e aí começou meu erro de programação! Ao invés de comprar a passagem saindo diretamente de Curitiba para Québec comprei saindo de São Paulo para Québec, pois obviamente era mais barato.... Não me recordo o quão mais barato, mas lembro que pensei "Ah... consigo uma promoção na passagem de CWB-GRU". 
Paguei uns R$340,00 com as taxas pela ida e volta, preço ok né? Até aí tudo bem... Mas o problema é que essa passagem é um trecho nacional, logo eu não tenho a franquia de 2 malas de 32 kg que eu teria caso tivesse feito a opção de sair direto de Curitiba! Campeã! Resultado, fiz uma mala para passar 6 meses de 23 kg (o limite permitido para voos domésticos) mas minha bagagem de mão também teve de ser despachada para São Paulo, pois estava marcando 10 kg, com isso desembolsei mais R$150,00. Agora pensa, se na ida eu paguei isso imagina na volta. Meu Santo Cartão de Crédito rogai por mim!
Sério mesmo, só nessa brincadeira com certeza teria valido mais a pena ter escolhido ir direto de Curitiba... Vacilos de passageiro de primeira viagem... Sobre o que levei na bagagem fica pra um próximo capitulo.
Outro erro que cometi foi que escolhi a opção de voo com menor tempo de duração total. Isso implicou em um espaço de tempo mínimo para escalas. Por exemplo, cheguei em Toronto umas 6:00h 6:20h, meu voo para Montreal saia as 8h. Parece um bom espaço de tempo mas até passar por todo o trâmite de imigração vai um tempo. Fui a última a embarcar e corri pelo aeroporto feito maluca. De Montreal para Québec meu gap também foi curto, só deu tempo de chegar e ir atrás do avião. 
Meu conselho é não façam escolhas pensando em uma economia que não vai ser nada econômica no fim das contas e não tente minimizar o tempo de espera em aeroportos ao máximo, é perigoso. 
Bom é isso... Conto como foi passear pelos ares com a Air Canada em um próximo momento senão eu nunca mais paro de falar! risos!
Espero que essas dicas e erros bobos ajudem quem precisar planejar algo parecido a não cometer as mesmas gafes que eu.

Bisous!

Imagem: Reprodução

Share this:

, , ,

Conta pra mim o que você achou

0 comentários:

Postar um comentário